Levantamento e mapeamento de pontos críticos de controle de insetos, roedores e outras eventuais pragas:
Identificação inicial das pragas incidentes através de inspeções e instalação de armadilhas de captura e monitoramento (sem veneno), porta-iscas resistentes e fechados à chave, sinalizados e mapeados, relatório fotográfico do local, sempre que a situação o exigir.


Manipulação ambiental:
Recomendações e sugestões com medidas preventivas, sempre pensando em soluções e estratégias justificáveis e economicamente viáveis para o cliente.


Monitoramento das armadilhas:
Estações de monitoramento para insetos e roedores, devidamente sinalizadas e mapeadas.


Aplicação de medidas diretas (químicas e/ou biológicas) no controle das pragas urbanas:
Somente nessa etapa é que ocorre a utilização de produtos químicos, sempre respeitando as particularidades de cada cliente, a legislação vigente e cada situação específica.


A educação na prevenção de infestações ou reinfestações:
Folhetos informativos, orientação durante as vistorias e palestras gratuitas aos colaboradores das empresas ou instituições-clientes, orientando ações que podem ser adotadas no dia-a-dia para auxiliar a prevenção de novos quadros de infestações ou simples ocorrências isoladas.



Apresentação dos resultados através de relatórios:
O Controle Integrado de Pragas (CIP) é realizado através da combinação dos fatores acima, possibilitando uma diminuição significativa das incidências de pragas nos estabelecimentos e áreas monitoradas. A diminuição na incidência de pragas reduz os riscos de transmissão de doenças, prejuízos materiais e acidentes ocasionados por insetos, roedores e aracnídeos. Os dados obtidos através de um criterioso e personalizado sistema de monitoramento são encaminhados periodicamente ao cliente, assim os responsáveis ficam cientes de todos os procedimentos adotados e ainda recebem orientações à cerca das medidas preventivas a serem adotadas, contribuindo ativamente para a situação de controle esperada.