Escorpiões

Têm glândula de veneno localizada no ultimo seguimento caudal (aparelho do ferrão), onde se encontra o ferrão utilizado para ferir pequenas presas e inocular o veneno para imobilizá-la.Algumas espécies podem ser fatais ao homem, dependendo da quantidade de veneno inoculada. Outra característica distinta dos escorpiões são os pedipalpos bastante aumentados, que formam um par de tenazes para capturar presas, as quais são transferidas para as quelíceras, que lentamente a esmagam e rasgam, sendo que a digestão inicia-se do lado externo do corpo. Costumam ser encontrados em tronco de árvores, embaixo de pedras, frestas no solo, associados a vegetação, e em imóveis abandonadas ou com material de construção estocado.

Os escorpiões são geralmente mais ativos durante as primeiras horas de escuridão, mas somente cerca de 10% da população parece ser ativa a qualquer momento do dia. Muitas espécies passam de 92 a 97% de sua vida em seu buraco. Quando procura uma presa, a maioria das espécies escavadoras fica à distância média de 1 metro do buraco, mas sabe-se que existem espécies a que retornam ao seu buraco de distâncias de até cerca de 8 metros.


Danos e Doenças

Também são animais peçonhentos e fazem parte do grupo dos aracnídeos. Apresentam a fase de muda, tem reprodução sexuada, e ao contrário dos outros aracnídeos não põe ovos, os filhotes ficam na cavidade abdominal da fêmea. Existem mais de 2.000 espécies descritas, e são bastante comuns em regiões tropicais e subtropicais. Têm hábito noturno e exibem uma fluorescência espetacular, podendo ser facilmente observados à noite com luz ultravioleta. Os escorpiões são aracnídeos grandes, a maioria varia de 3 a 9 cm de comprimento. A menor espécie é a Typhlochactas mitchelli que têm somente 9 mm, e a maior a Hadogenes troglodytes que podem chegar a medir até 21 cm de comprimento.