Moscas e Mosquitos

Seus criadouros, geralmente estão situados nas regiões limítrofes entre as zonas rurais e urbanas, justamente por ser nestes locais que encontramos a presença de aterros sanitários, ou simplesmente depósitos de lixo, mantidos via de regra em regiões precárias, assim como é comum encontrar na zona rural, matéria orgânica em decomposição, provenientes de fezes de animais de criação, como suínos, eqüinos, bovinos, ovinos, caprinos e, etc.


Os fatores sócio-estruturais acima citados têm visivelmente contribuído com a manutenção de moscas e mosquitos nos ambientes industriais e domésticos, sendo que somente o controle ou manejo integrado de pragas é que pode influenciar na dinâmica destas populações. Esta técnica é usada principalmente em situações onde os riscos associados ao uso de inseticidas devem ser evitados, como é o caso de regiões residenciais, ou também para se evitar que a resistência das pragas cause perda de controle através das técnicas comuns de combate.


A mosca doméstica raramente age como hospedeiro intermediário, porém, quase sempre atua como transportador mecânico de moléstias.


Danos e Doenças

As moscas pertencem ordem das Díptera. Esta ordem apresenta metamorfose completa, isto é, desenvolvimento por holometabolia (ovo, larva, pupa e adulto). A mosca doméstica sofre metamorfose completa. Os ovos são deixados geralmente em locais escuros (estercos ou matéria orgânica em fermentação, numa profundidade de 8 a 10 mm); são brancos, brilhantes, de forma alongada e depositados em massas. Cada fêmea pode depositar em média de 120 ovos por postura, podendo haver até seis postura. O total de ovos, por fêmea, varia de 400 a 900 durante toda a sua vida.